“Digital Analytics” no SEEDCast

seedcast_digital_analytics_palestra_rafael_damasceno

Hoje tive a oportunidade de ir a mais uma excelente palestra, através do projeto SEEDCast, se você não conhece o projeto Seed venha por aqui: http://seed.mg.gov.br/

A palestra começou sem enrolarão e já foi pegando direto no ponto “A mensuração de resultados é vital para qualquer empresa em busca de crescimento”.

Mas o mais impressionante é que a imensa maioria das Startups limita a sua mensuração de resultados online ao Google Analytics e, no máximo, alguns outros softwares semelhantes.

O GA é só a ponta do iceberg. Limitar-se a ele é ignorar a valiosa oportunidade de mensurar dados estratégicos de várias outras ferramentas de Digital Analytics.

Para quem não conhece Rafael Damasceno, o mesmo trabalha com Marketing Digital desde 2005, já tendo atuado ajudado inúmeras empresas em dezenas de mercados diferentes, dentro e fora do Brasil.
E é co-fundador da Supersonic, a primeira empresa brasileira totalmente focada em Otimização de Taxa de Conversão.

Abaixo venho falando um pouco sobre os conceitos listados e claro como sempre deixando para vocês alguns drives para analisar.
Esse texto foi baseado nas minhas anotações da palestra, por isso serve apenas como uma referência e introdução ao assunto.

O que devemos entender primeiro:

“O google analytics é diferente de web analytics e digital analytics”

Um pouco de Historia:

Nos primórdios da analise de resultados web o que era importante eram os HITS , ou seja a analise básica de trafego dentro do seu site.
Entretanto hoje o termo HITS virou sinônimo (e uma piadinha entre profissionais da área)
HITS – How Idiots Track Success – como idiotas acompanham/mensurão o sucesso.

Depois disso vieram as ferramentas Clickstream, que ajudavam os gestores a entender o fluxo de navegação dentro do site.
O GA é uma ferramenta que é baseada neste modelo, apesar de possuir diversos outros recursos e estar evoluindo constantemente.

Modelo Web Analytics 2.0:
Ao que parece desenvolvido (vamos colocar compilado em um livro) por Avinash kaushik (http://www.webanalytics20.com/)
é o modelo que vem fazendo sucesso e colocando o mercado em movimento, abaixo estão alguns pontos (mas não todos) que o livro aborta e algumas considerações.

1 – Clickstream
2 – Analise de resultados múltiplos
3 – Experiências e testes
4 – Voz do consumidor
5 – Inteligência competitiva

1 – Clickstream

Boas ferramentas:
– Omniture
– Webtrends
– Yahoo webanalytics

Alguns conceitos …

Formas comuns de instalação:
– Javascript no código do site
– Instalação no servidor (para versões pagas)

E como isso funciona?
1 – Usuário faz busca
2 – Usuário acessa o site
3 – Navegado do usuário envia dados para servidores Google
4 – Os dados ficam disponíveis em relatórios

Erros e preguiças mais comuns

Confundir as Metricas
– Page view é diferente de
– Número de Visitas, que é diferente de
– Número de Visitantes

Exemplo:
Em um aceso a um site, onde o usuário navega em trés páginas a partir da home e depois sai para tomar um cafezinho o sistema computa:
3 Page view
2 Visitas
1 Visitante

Construtor de URL do Google
O google tem dificuldades e muitas vezes não consegue identificar de onde os usuários veem.
Por exemplo, o usuário que veio de um email marketing, ou que veio de redes sociais.
Em todas as campanhas você deve configurar de qual mídia o usuário vem e de qual campanha ele vem, através do construtor de URL’s.

Taxa de rejeição é diferente de Taxa de saída

– Taxa de rejeição é a % de usuários que abandonam o site sem interagir com sua página
Mas isso não quer dizer que seja uma taxa de rejeição literal (ele pode ler o conteúdo e não interagir)
Interação para o google é reload de páginas

– Taxa de saída é a % que viu a pagina e saiu.
É a página de fuga, por exemplo, o final de um carinho de compras.
Aqui você pode induzir o usuário a compartilhar o conteúdo (comprou este sapato? mostre para suas amigas no facebook) e/ou realizar outra ação.

Metas
Uma meta é atingida quando o usuário passa para um estado que você deseje.

Existem 4 tipos:
– URL (exemplo: Obrigado por enviar sua mensagem!)
– Tempo no site
– Numero de páginas
– Evento (por exemplo um formulário em ajax, o google tem dificuldade em entender isso)

2 – Analise de resultados múltiplos

Analytics é a descoberta e comunicação de dados com significado.

Por exemplo, a métrica de tempo de permanência no site (é uma métrica inútil)

KPI – Métricas importantes

Exemplos:
– Vendas
– Leads
– Cadastros
– Downloads

Como validar as boas KPIS, faça as perguntas:
– Por que eu existo (Core bussines)?
– É uma métrica fácil de entender?
– Mostra claramente o seus objetivos (vende mais, vende mesmos, o que acontece)?
– Mostrar retorno econômico?

3 – Experiências e testes

Caso:
A cada 100 visitas do meu site eu faço 2 vendas
ou seja minha taxa de conversão é 2%,
depois eu reformulo minha pagina e agora a cada 100 visitas eu estou fazendo 4 vendas
ou seja minha taxa de conversão agora é de 4%

Nesta pequena brincadeira você esta dobrando o faturamento
a ideia é tirar cada vez mais leite da mesma pedra

Conclusão:
Infelizmente as pessoas não testam …
A margem de erro para isso é muito grande

Caso:
Soft popup – Versão A vs Versão B

A versão B foi melhorada e cheia de bons conceitos de boas praticas, como usabilidade, acessbilidade etc
Mas a versão A gerou o dobro de acessos.

Conclusão:
Nunca façam uma mudança sem testar cientificamente, a sua opinião não interessa no marketing digital, por que somente um teste de verdade vai definir isso.

Tipos de Teste:

– Teste A / B – Versão A vs Versão B
– Teste multivariavel – SPLIT TESTE serve para saber qual melhor versão de componentes  individuais é mais eficiente dentro de uma pagina

Ferramentas para isso:
– Visual webotimizer
– Eptimizelly
– Unbonuce
– Além do GA

Nota: Cuidado com testes idiotas (tipo mudar a cor do site ou de um botão), vc precisa de confiança estatística, sua opinião de cores não vale!

4 – Voz do consumidor

The truth is out there –  “A verdade esta lá fora” – Referência a Arquivo X

Quem tem a resposta para o seu problemas não é você nem sua equipe, e sim o seu cliente.
Interação com sua página …

Google analytics não vai lhe mostrar a interação no seu site (ele é uma ferramenta clickstream)

Ferramentas para isso:
– Crazy Egg
– Heatmap
– Acrollmap

– Google Internal Search – mostra quais termos as pessoas buscam no site e nos que elas estão interessadas.
Além disso:
– Ajuda a pensar na arquitetura da informação correta para seu site;
– Fala o que as pessoas buscam de verdade no seu site, podendo você decidir abrir mercado para isso ou não.
– Mostra como os clientes chamam/entendem o seu produto, refrigerador ou geladeira

– Chats
– Olark
– Zopim
– Live chat

Analise as duvidas mais frequentes, para cada cliente que pesquisou algo, você pode deixar mais claro para o seu cliente as informações.
Além disso se você atende bem, isso pode ser tornar uma conversão por bom atendimento.

– Pergunte qualquer coisa
– Survey Monkey
– Survey Money

– Você pode pedir avaliações do site.
– Como esse site poderia ser melhor para você?
– Dados demográficos (as ferramentas nem sempre acertam)
– Saber quais são os concorrentes? pergunte para eles você pode descobrir outras concorrentes que não conhecia

Teste de usabilidade
Coloque as pessoas para usar o site
Referencia ao famoso livro – Não me faça pensar – de Steve Krug

Prioridades de um teste:
– Seu usuário
– Seu publico alvo
– Qualquer pessoa
– Profissionais de UX

5 – Inteligência competitiva
– Toolbar
– Painéis (tipo ibope)
– Ferramentas de busca (insights)

6 – Social Media (bônus)

Antigamente:
– Criação de conteúdo
– Distribuição de conteúdo
– Consumo de conteúdo

Hoje:
– Caos

Redes sociais convertem mal?

Cuidado – usuário conhece pela rede social e busca no google e tem acesso direto e e depois vem a conversão.

Fique de olho no funis multicanal para entender da onde vem as vendas.

O que monitorar?

Na cabeça das pessoas você deve monitorar a marca, mas isso é a ponta do iceberg, você deve avaliar o seu mercado como um todo.

Eu não quero saber somente o que as pessoas falam da minha geladeira.
Eu quero saber de tudo de todas as geladeiras.
Se eu avalio somente a minha marca eu não consigo perceber isso

* Obviamente fazer isso sozinho sem uma equipe é quase impossível.
– Startup Zahpee

Dashboard Centralizado
– geckoboard

Ficamos por aqui com as anotações, de qualquer forma quer bater um papo?
Comente ou entre em contato, será um prazer discutir novas ideias.
Abraços.

One Response to “ “Digital Analytics” no SEEDCast ”

  1. Legal demais!! Parabens pelo texto e dicas! Abraços!

Deixe uma resposta


1 + = dez